Lutenew Z

O Lutenew Z é o mais novo aliado da saúde ocular. Seus dois principais componentes são a  luteína e a zeaxantina, carotenoides extraídos da planta Tagete Erecta.
O Lutenew Z também contém em suas cápsulas as vitaminas C, E, os minerais cobre, selênio e zinco e o ácido graxo essencial ômega-3.

Apresentação: frascos de 60 e 240 cápsulas de 500 mg cada cápsula.

Sugestão de consumo: ingerir uma cápsula, duas vezes ao dia.

Informação Nutricional
Porção de 2 cápsulas de 500 mg (1g)

Quantidade de porção % VD (*)
Valor energético 8 Kcal = 34 kJ 0%
Gorduras Totais 0,9 g 2%
Gorduras saturadas 0,3 g 1%
Gorduras trans 0 g
Gorduras monoinsaturadas 0,2 g **
Gorduras Poliinsaturadas 0,4 g **
EPA 0,16 g **
DHA 0,11 g **
Colesterol 0 mg 0%
Vitamina C 45 mg 100%
Vitamina E 10 mg 100%
Cobre 900 mcg 100%
Selênio 10 mcg 29%
Zinco 7 mg 100%
Não contém quantidades significativas de Carboidratos, Proteínas, Fibras alimentares e Sódio.
*% Valores diários com base em uma dieta de 2.00 kcal ou 8400 kJ.
Seus valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas
** Valores diários de referência não estabelecidos

Sobre a saúde da visão

A degeneração macular relacionada a idade atinge especialmente pessoas com mais de 60 anos e pode levar a acentuada perda da visão central, se não for tratada. Estima-se que aproximadamente 10% das pessoas entre 65 e 74 anos e cerca de 30% com mais de 75 anos tenham a doença no mundo. De acordo com o Conselho Brasileiro de Oftalmologia, 2,9 milhões de pessoas com mais de 65 anos sofrem com o problema no Brasil. De acordo com os pesquisadores americanos, os nutrientes da dieta relacionados com menor risco de degeneração macular são as vitaminas C e E, e o zinco, a luteína, a zeaxantina e o ácido graxo ômega-3, conhecido como DHA e EPA.

Luteína e Zeaxantina

Luteína e Zeaxantina são carotenoides presentes nas frutas e legumes amarelo-alaranjados e nos vegetais verde-escuros. Os carotenoides aumentam a densidade do pigmento macular além de atuar como antioxidantes.
Luteína e Zeaxantina são os únicos carotenoides encontrados na região central da retina (mácula lútea), onde a acuidade visual é aguçada, por isso a importância dessas substâncias.
Esses carotenoides atuam como filtros solares internos, protegendo a mácula ocular dos efeitos da luz ultravioleta.
Um estudo coordenado pelos pesquisadores do departamento de oftalmologia da Harvard Medical School e do Medical College da Geórgia, demonstrou o importante papel da luteína e da zeaxantina na manutenção da distribuição celular do epitélio pigmentário da retina (RPE), responsável pelo bom funcionamento das células fotorreceptoras (cones e bastonetes). O descompasso no funcionamento deste complexo pode levar a degeneração das células e consequentemente a redução da acuidade visual.

Ômega-3

O ômega-3 proveniente do óleo de peixe é um importante ácido graxo essencial, sendo necessário para diversas funções do nosso organismo. Inúmeras pesquisas têm demonstrado a importância da suplementação de ácidos graxos essenciais Ômega-3, mas, especificamente o DHA é considerado como sendo essencial para o cérebro e a retina do globo ocular.

O ômega-3 beneficia em especial as pessoas que possuem essa síndrome (Degeneração da mácula relacionado a idade), reduzindo a atividade inflamatória do corpo e provavelmente alterando o perfil lipídico das glândulas que produzem os óleos especiais que compõem a lágrima normal. Alguns dos componentes do ômega-3 poderão também estimular a secreção da nossa lágrima.

Vitaminas e Minerais

Vitamina C – além de ser conhecida por fortalecer o sistema imunológico, essa vitamina contribui ativamente para prevenir problemas de visão que acontecem conforme envelhecemos, uma vez que esse nutriente não deixa acontecer a degeneração da mácula, parte da retina responsável pela percepção.
Vitamina E e Selênio – tendo uma função antioxidante, protege a membrana celular ao neutralizar determinados subprodutos nocivos ao metabolismo, os radicais livres. Estes compostos de oxigênio desempenham um papel no desenvolvimento de várias doenças, tais como, a catarata e a degeneração macular.
Cobre – o cobre é um mineral considerado essencial para o organismo. Ele é um oligoelemento, elemento químico essencial para os seres vivos encontrado em baixa concentração nos organismos, porém de fundamental importância biológica.
Zinco – o zinco desempenha um papel fundamental na manutenção da visão, estando presente em altas concentrações nos olhos. A deficiência de zinco pode alterar a visão, prejudicando principalmente a saúde da retina (parte de trás do olho onde a imagem é formada).