DHA é a abreviação do ácido graxo docosahexaenoico (docosahexaenoic acid) e pertence a família do Ômega-3.
Na natureza, o DHA é encontrado em alguns peixes de água fria – como o atum e o bonito. No ser humano, o DHA é encontrado na porção fosfolipídica do cérebro (massa cinzenta e sinapse), em alguns tecidos corporais e no leite materno. Cerca de 65% do cérebro são formados por gorduras e o ácido graxo DHA é um dos seus principais constituintes.
Segundo inúmeras pesquisas, o DHA tem importante ação funcional para a integridade do Sistema Nervoso Central, especialmente no desenvolvimento do cérebro e da retina.
Com o avanço da idade, o cérebro reduz a produção de neurônios e, além disso, passa a sofrer cada vez mais os danos causados pelos radicais livres.
Portanto, os hábitos alimentares interferem diretamente na saúde cerebral, daí a importância de uma alimentação saudável e equilibrada em todas as fases da vida para proporcionar um envelhecimento saudável e evitar doenças e lapsos de memória, inclusive durante a gestação e amamentação.

Curiosidades
Há um ditado milenar no Oriente que diz: “Coma cabeça de peixe para ficar mais inteligente”. Na década de 80, descobriu-se que a cabeça de peixes – principalmente os de águas frias – contém grande quantidade de ácido graxo Ômega-3, e que contém também, em quantidade muito maior, o DHA (ácido docosahexaenóico).

Você sabia que o nosso cérebro, para estar funcionando de forma sempre regular necessita ser alimentado, todos os dias, com “gorduras boas”, os chamados “ácidos graxos insaturados” e que na falta destas, o cérebro será “alimentado” de gorduras prejudiciais que estiverem disponíveis no organismo.
Finalmente fica a dica de evitar as gorduras “ruins” como as trans e dar preferência a gorduras “boas” como os óleos de peixe e azeite de oliva extra virgem.